Passer au contenu principal
NuBIS

Por uma nova geografia

 

Tendo escolhido precocemente orientar seu magistério em direção à geografia, e à diferença de alguns de seus contemporâneos, Vidal partilha a ambição intelectual que anima parte da alta administração universitária, para a qual o sistema alemão poderia servir de inspiração. Desde Nancy, ele participa de uma série de pesquisas sobre a organização da ciência e do ensino superior no Reich, consultando a documentação escolar e universitária, percorrendo as grandes cidades universitárias e encontrando alguns geógrafos reconhecidos da época: Oscar Peschel (1826-1875), em Leipzig, Richthofen, em Berlim. O caderno 4 reúne, assim, momentos de uma de suas viagens, realizada em setembro de 1874, com informações, notas sobre conversas, apreciações sobre o sistema universitário... e sobre algumas figuras acadêmicas com quem Vidal cruzou.

 

Caderno [4], registro 84.

“Peschel é hoje o homem mais importante no ensino de geografia na Alemanha – Kiepert, hábil no desenho, não possui o dom de ensinar – Bastian, espírito confuso (importância de seu museu etnológico)”

 

 

Na passagem, ele esboça descrições, evoca monumentos e paisagens urbanas, sublinha o interesse dos museus, destaca debates na imprensa. Em definitivo, o caderno aparece com uma missão de reunir informações sobre a vida intelectual da Alemanha, as quais, aliás, parecem não ter sido publicadas, contrariamente às de outros personagens, como as do historiador Gabriel Monod (1844-1912).

Artigo sobre Elisée Reclus, Journal officiel de la République française, Biblioteca Nacional da França.
 Menção no caderno [5] de um artigo de Paul Vidal de la Blache sobre Elisée Reclus (ver ao lado).

Suas referências precoces a Elisée Reclus (1830-1905) e a Karl Ritter (1779-1859) no caderno [5] demonstram que Vidal se inscreve numa continuidade. Mas, trabalhando lentamente, maturando sua obra para produzir algo novo, tudo isso se liga a uma vontade, uma consciência mesmo, que se revela poderosamente no relato em primeira pessoa que expõe diante da Academia de Inscrição e Belas-Letras, prelúdio de uma candidatura malfadada (caderno [19], 1896). Vidal apresenta ali um estudo notável sobre as “vias de comércio na geografia de Ptolomeu”, que, associava à crítica textual uma geografia histórica e uma cartografia, integrando a materialidade dos produtos, dos lugares e dos circuitos de trocas.

Embora essa ambição intelectual não seja apreciada pela Academia, seus grandes artigos nos Annales de Géographie, que integram largamente referências alemãs, o tornam conhecido no campo acadêmico, e a publicação do Tableau lhe abre as portas para o sucesso de público. Vidal se permite abrir então duas linhas de trabalho que vão consolidar a reputação do que hoje se costuma chamar de “escola francesa de geografia”. Para ele, trata-se de escrever o livro Princípios de geografia humana, projeto cujos esboços já são múltiplos desde o começo do século, o que revela que Vidal trabalhou por cerca de duas décadas para atingir o objetivo de finalizar essa obra. Assim, o caderno [32] (onde figura o título Princípios de geografia humana) e os cadernos [29] e [33], com seus desenhos e suas observações minuciosas de museus etnológicos, mostram a intensidade de seu interesse pelos gêneros de vida, meios e cultura material.

Caderno [32], registro 2. Lê-se o título Princípios de geografia humana, com um esboço do plano da obra.
Caderno [32], registro 3. Vidal trabalha em dois tempos: primeiro, com o lápis no papel; depois, escreve à caneta para fixar suas ideias.

Também nos anos de 1907-1908 (caderno [29]) Vidal trabalha em uma obra coletiva, traçando o plano e a lista dos autores: “Vidal, tal qual o Deus pai, dividiu o mundo entre seus discípulos, começando pelos mais antigos”, diz um tanto amargamente Raoul Blanchard (1877-1965), que sonhava em “ter” a Europa, mas recebeu uma parcela considerada “menor”, a Ásia Menor.




 “França Gallois
NW Europa Demangeon
Europa Central Martonne
Europa Meridional Brunhes
Europa do Norte Camena
* * *
Ásia N e Central Camena
Raveneau Ásia Ocidental Maurette
Ásia Oriental Sion
* * *
África do Norte Bernard, Vacher
Centro e Sul Blanchard
* * *
América do Norte Margerie, Baulig
América Central e (?) meridional Musset, Denis

* * *
Austrália Privat-Deschanel
Polares Zimmermann
* * *
Alpes
Colônias
Mares adjacentes”

Caderno [29], registro 96.